From: JC Couto [mailto:jccoutobrasil@gmail.com]

Sent: quarta-feira, 16 de setembro de 2009 12:15
To: JC
Couto (Yahoo!)
Subject: 7 formas de ser que fazem mal para
você

 
A personalidade de uma
pessoa pode fazer mais por ela do que apenas influenciar a sua vida social.
Dependendo do seu comportamento, até a sua saúde pode ser prejudicada. “A ideia
que o comportamento e a personalidade podem influenciar a saúde existe há muito
tempo”, afirma Stephen Boyle, do Centro Médico da Universidade de Duke, nos
Estados Unidos. “Mas só agora estamos tendo uma noção melhor de até que ponto
isso acontece”, completa Boyle.
 
Dos temperamentos mais
calmos aos mais explosivos, fatores psicológicos são muito ligados à sua
sanidade física, então confira sete dos comportamentos mais prejudiciais à sua
saúde.

 

7. Cinismo

As pessoas cínicas tendem a
suspeitar e não confiar nos outros, e, de acordo com cientistas, tendem a ser
mais hostis e têm maior probabilidade de desenvolver doenças cardíacas. Em um
estudo feito com 300 veteranos da Guerra do Vietnã, cientistas descobriram que
aqueles que têm maiores taxas de hostilidade têm 25% mais chances de desenvolver
doenças cardíacas.

 

Uma pesquisa realizada
recentemente com 162 mil mulheres também demonstrou que aquelas que são mais
cínicas e pessimistas têm maiores chances de ter doenças cardíacas. Boyle
considera que os indivíduos mais hostis tendem a ser mais estressados, o que
pode ajudar na produção da proteína C3, ligada ao desenvolvimento de várias
doenças, como a diabetes.

 

6. Falta de
perspectiva

Se falta uma perspectiva e
propósito na sua vida, a sua estadia na Terra pode ser encurtada. Um estudo
feito com mais de 1.200 idosos mostrou que aqueles que afirmam ter um propósito
na vida têm 50% menos chances de morrer do que os idosos mais pessimistas. A
pesquisa foi realizada durante cinco anos mostrou que as taxas de mortalidade
foram menores entre esse grupo de pessoas, independente da idade, sexo e nível
de instrução.

 

“As pessoas com mais
propósito na vida encontram sentido a partir dos eventos de suas vidas, e
geralmente realizam atividades que consideram importantes”, afirma a
pesquisadora Patricia Boyle, do Centro de Pesquisa em Alzheimer em Chicago, nos
Estados Unidos.

 

Pesquisas anteriores sugerem
que as pessoas com maior senso de propósito na vida têm menores níveis de
estresse, melhor saúde e sistemas imunológicos mais poderosos, mas, de acordo
com Patricia, mais pesquisas têm que ser feitas para confirmar a relação direta
entre os fatores.

 

5. Neuroses

As pessoas mais neuróticas,
sempre preocupadas e ansiosas, têm maiores chances de morrer, quando comparadas
com pessoas mais tranquilas. Um estudo feito durante trinta anos com 1.800
homens na Universidade Purdue, nos Estados Unidos, sugere que isso pode
acontecer porque os mais neuróticos fumam mais.

 

4. Falta de
auto-controle

Atrasos constantes, falta de
organização e a falta de auto-controle para contornar estas situações pode
prejudicar a sua saúde. Uma revisão baseada em 20 pesquisas anteriores feitas
com mais de 9 mil pessoas sugere que pessoas mais organizadas e disciplinadas
vivem de dois a quatro anos a mais que as pessoas mais impulsivas. O pesquisador
Howard Friedman, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, afirma que
isso pode acontecer porque as pessoas mais disciplinadas tendem a beber e fumar
menos, e têm vidas mais estáveis e menos estressantes.

 

3. Ansiedade

Um estudo feito com mais de
500 idosos durante mais de cinco anos sugere que as pessoas mais tranquilas e
expansivas sofrem menos com demência, que pode ser causada pela doença de
Alzheimer e por outras condições médicas. O risco de demência foi 50% menor
entre as pessoas mais calmas, quando comparadas com as mais ansiosas.

 

2. Melancolia

Pessoas mais melancólicas e
com inibições sociais têm problemas sociais e também de saúde. Uma pesquisa
feita com 180 pacientes que sofrem com placas nas artérias mostrou que as
pessoas com a personalidade mais negativista têm maiores chances de morrer mais
cedo devido ao problema. Os pesquisadores sugerem que o resultado pode estar
ligado à relação entre o tipo de personalidade e o sistema de imunológico destas
pessoas.

 

1. Estresse

Por favor, não se estresse
com os fatores de risco desta lista! Pesquisas mostram que pessoas que sofrem
com estresse prolongado têm maiores chances de ter problemas cardíacos, gripe,
problemas metabólicos e pressão sanguínea alta.

 

Um estudo feito com 700
trabalhadores israelenses descobriu que aqueles que sofreram de estafa, estágio
mais intenso do estresse, têm o dobro de chanches de desenvolver diabetes do
tipo 2. Uma pesquisa recente feita no Reino Unido sugere que promoções no
trabalho aumentam em 10% os níveis de estresse e que as pessoas que são
promovidas costumam ir menos ao médico.
 

JC
Couto
Photos : http://www.flickr.com/photos/jccouto
Twitter
: @jccoutobrasil