Li em algum lugar a seguinte frase:

"O exército cristão é o único que atira contra os próprios soldados."

Sempre me lembro dessa frase quando alguém me diz que não vota na Marina porque ela não tem chance de vencer.

Sonia

Assunto: Eleições 2010 – Marina Silva

Por Eudson Portugal

Os eleitores brasileiros estão se posicionando em relação às próximas eleições de modo errado. Parece que estão fazendo uma aposta numa corrida de cavalos. Escolhem o animal que, segundo seu palpite, tem as melhores chances de ganhar.

Mas não é isso o  que verdadeiramente importa no primeiro turno. O que devemos fazer não é votar em quem achamos que vai ganhar. Nosso voto tem que ser uma demonstração da nossa cidadania.

O que de todos nós se espera como eleitores, coletivamente, como cidadãos conscientes, venhamos a público, através do voto, apontar com justiça a quem nós reconhecemos como o mais digno, o mais honrado e o mais nobre e o mais justo entre os que se apresentam para o pleito.

Devemos colocar no pódio, aqueles a quem nós queremos honrar, nossos heróis, por terem, ao longo das suas vidas, deixado um rastro luminoso para ser seguido pela nossa mocidade. Quem tem trazido alegria e paz aos nossos velhos. Quem tem nos honrado  e nos destacado no cenário das ações mundiais. Quem nunca nos fez motivo de chacota aos olhos de toda a humanidade. A quem nós devemos demonstrar com nossos votos, qual o padrão de pessoas que nós queremos para o país dos nossos filhos, e de toda a nossa descendência.

De longa data, um dos mais ilustres filhos de nossa pátria, com amargura, certamente, nos vaticinou aquilo que temos vivido nos tempos atuais:

– De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)

Marina, a vida por uma causa

 “Esta semana – disse alguém pela web – li o livro “MARINA, A VIDA POR UMA CAUSA”, gostei muito, pois pude conhecer uma mulher sensível, determinada, inteligente e cheia de fé.”

“Gostaria de destacar alguns pontos relevante que anotei. Conhecendo-se a sua história, chega-se facilmente à conclusão de que os sofrimentos e dificuldades enfrentados por ela, quando comparados ao do presidente Lula, que também veio de baixíssima condição social, foram muito maiores, tendo a grande diferença no esforço por ela desprendido ter sido muito maior.”

“Viveu no mato, vindo para cidade, trabalhou como domestica, foi internada como indigente. Mesmo sendo analfabeta aos 16 anos,  foi a luta, matriculou-se no Mobral, passou pelo Supletivo, foi aprovada e formou-se na Universidade Federal do Acre, nunca mais parou de estudar, inclusive tendo estudado na UnB, especializando-se em psicanálise, apresentando sua monografia final com o tema: “Pontos de contato entre a psicanálise e o sistema de crenças judaico-cristãs: lugar do sagrado no processo de elaboração do psiquismo” Vale ressaltar que ela também aprofundou-se nos estudos bíblicos, sendo consagrada missionária, no dia 18/11/2004, na Assembleia de Deus da L-2 Sul.”

“Hoje, é comum, vê-la pregando a Palavra de Deus nos púlpitos das igrejas. Como testemunhou seu pastor (Sostenes Apolo): “A marca da Marina esta na inteligência associada à simplicidade, na fidelidade aos compromissos com a igreja, apesar de sua agenda carregada”.

Veja alguns trechos do livro:

“A conversão de Marina Silva não influenciou apenas a família, mas muitos amigos e até colaboradores. Mas não sem antes provocar abalos sísmicos nas reuniões dos correligionários petistas.” (pag. 160)
Ainda em relação a sua fé: “Seus maiores críticos foram sempre os próprios camaradas petistas. Uma amiga chegou a dizer-lhe : nossa, eu a achava uma mulher tão inteligente, mas evangélica?” (pag. 161)

“Antes, nosso discurso era do conflito, entende? Era de ir pro pau, como se diz no PT. Agora, penso que o mundo precisa ser mudado pela transformação interior, pessoal, e para que as pessoas possam viver com dignidade. Não é mais um discurso de ódio, mas um discurso que convida ao diálogo e ao debate.” (pag. 163.

“Após sua conversão, Marina Silva passou dois anos lendo quase que somente a Bíblia. Ela quis compreender melhor a experiencia mística vivida e aprofundar seus conhecimentos sobre as Escrituras. Depois, comprou livros, recorreu a uma enciclopédia de filosofia e teologia, enfim, foi em busca de informação” (pag. 167).

“Em 2009, no Programa Roda Vida, da TV Cultura…. quando tentava esclarecer uma controvérsia em torno da suposta defesa do ensino do criacionismo nas escolas, era impedida de concluir as frases, e tratada com agressividade, como se tivesse cometido uma transgressao ao confirmar que acreditava, sim, nos relatos do livro bíblico do Gênesis.” (pag. 171).

Junto a um jornalista da Folha de S.Paulo, quando a provocava com o “criacionismo”, ela disse: “Eu creio que Deus criou todas as coisas como elas são, mas isso não significa que descreia da ciência. Não é necessário contrapor a ciência à religião. Há médicos, pesquisadores e cientistas que, apesar de todo o conhecimento cientifico, crêem em Deus” (Pag 172).

“EU ME CONVERTI, EU LEIO A PALAVRA DE DEUS, CREIO EM JESUS CRISTO COMO SALVADOR. ESTA É A MINHA FÉ.”

“MINHA CONVERSÃO FOI UM MOMENTO DE MUITA DOR. NÃO FUGI À REGRA DAQUELES QUE VÃO PELA DOR, MUITO MAIS DO QUE PELO AMOR”

Marina Silva